Cana Verde - interior de Minas Gerais - credito Marden Couto

10 coisas que mineiros que cresceram no interior sentem falta

A vida no interior tem as suas peculiaridades, mesa farta e casa cheia retratam bem este cenário típico. Selecionamos alguns fatos que mexem com a memória afetiva das pessoas, principalmente de quem passou a infância no interior de Minas Gerais. 

São coisas que meninos e meninas, que nasceram e cresceram no interior, têm na lembrança e não costumam vivenciar mais hoje em dia. É nostalgia pura! Confira!

 

Quer ter as melhores experiências em suas viagens por Minas? 

Clique aqui e compre nosso Guia exclusivo!

 

1 – Cheirinho de pão de queijo saindo do forno

No interior é comum a mesa ficar posta o dia inteiro, mas o melhor de tudo é chegar em casa ou no vizinho e sentir aquele delicioso cheirinho do pão queijo quentinho saindo do forno, e para acompanhar um bom cafezinho. 

 

2 – Almoço de domingo na casa dos avós

Domingo é de lei a mesa cheia e a família reunida na casa dos patriarcas. Momento de conversar, rever os tios e primos e prosear a tarde toda. Ver as crianças fazerem bagunça e os adultos revivendo as lembranças e matando as saudades.

 

3 – Pegar couve na horta do vizinho

A maioria das casas possuíam quintais, por isso quem é nascido e/ou criado no interior deve ter a lembrança de pedir couve, taioba ou outra hortaliça para o vizinho na hora do almoço. Como os alimentos nasciam em grande quantidade os vizinhos costumavam doar ou trocar entre eles para não perder. 

 

4 – Comprar leite do leiteiro na porta de casa

O leiteiro passava de casa em casa vendendo os litros de leite e era de praxe todo mundo comprar. O leite sem passar por tanto procedimento industrial possui até um outro sabor, bem característico. 

 

5 – Sentar no meio fio para fofocar

Em cidade pequena todo mundo sabe da vida de todo mundo. Quem casou, mudou, separou, adoeceu, viajou, tudo é pauta a ser tratada, principalmente, se for sentado na calçada vendo o movimento nas ruas. 

 

6 – Brincar na rua com os primos e amigos

Para a maioria das crianças que vieram do interior fatos como perder o tampão do dedão correndo descalço na rua, esfolar os joelhos e os cotovelos era algo comum. E nem por isso a brincadeira acabava, porque ninguém queria largar a diversão e ter que voltar para casa e correr o risco de não poder voltar.

 

7 – Ir dormir na roça de alguém

Quem é que nunca pediu para dormir na casa, roça ou sítio de um amigo ou vizinho? Fazer as famosas festas do pijama, onde juntava a criançada toda para comer guloseimas, fazer guerra de travesseiros e contar histórias de terror. Era pura diversão poder dormir uma noite fora de casa.

 

8 – Fazer o dever de casa em grupo

Fazer o dever de casa coletivamente era uma ótima ideia, ainda mais que todo mundo se ajudava para acabar as tarefas mais rápido e ainda ter um tempo de brincar antes de ter que voltar para casa.

 

9 – Fazer compras com caderneta

Ir à padaria, açougue ou mercearia e anotar os pedidos na caderneta era hábito no interior. Andar com dinheiro vivo era só na época de quitar as dívidas feitas ao longo do mês. 

 

10 – Ir pra pracinha sábado à noite

E depois de uma semana inteira de estudos, chegava o tão aguardado sábado à noite, dia de sair com os amigos e reencontrar outros conhecidos na pracinha. No interior a praça é o point da cidade, ponto de encontro dos amigos e também das paquerinhas.  

 

Você tem saudades de outras lembranças do interior? Conta pra gente nos comentários!

 

Na foto está a Matriz do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, em Cana Verde, cidade onde eu (Luana) nasci e cresci!

cta_finalpost_passeios_venda
Postagens relacionadas
nhá chica - crédito Marden Couto
7 cidades mineiras que estão na rota da peregrinação
dicionário de mineirês - credito Marden Couto
Dicionário de Mineirês
camping veu da noiva
10 lugares para você acampar em Minas Gerais
divulgação girus
Veja quais são as melhores baladas de Minas Gerais
melhor forma de viajar - credito Luana Bastos
É melhor viajar de pacote, excursão ou por conta própria?

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web