Praça da Liberdade - Belo Horizonte

Belo Horizonte

Se por um lado Minas Gerais é conhecida por suas inúmeras faces que contemplam a natureza exuberante, a culinária diversificada, o povo acolhedor e a cultura múltipla, Belo Horizonte não é diferente. Envolta pelas montanhas da Serra do Curral, que lhes servem de moldura natural e referência histórica, e dona de um horizonte único no país, BH surpreende por unir tradição colonial e modernidade, sendo considerada ainda a cidade síntese do Estado.

A capital mineira é conhecida por sua hospitalidade, segurança, qualidade de vida, arquitetura e muito mais. Com 117 anos a terceira maior metrópole do Brasil está em constante crescimento. Seus cerca de 2,5 milhões de habitantes contam com uma ampla e diferenciada rede de serviços e uma estrutura urbana que valoriza os espaços livres e as áreas verdes.

A cidade é também a porta de entrada de Minas Gerais, sendo ligada a diversas rodovias estaduais e federais e contando com infraestrutura aeroportuária completa. Localizado na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), o Aeroporto Internacional Tancredo Neves (em Confins), é o principal terminal mineiro. Possui instalações e sistemas de avançada tecnologia, um terminal de carga aérea totalmente automatizado e pista dotada de equipamentos de última geração, tendo passado por obras de ampliação e modernização recentemente. Da mesma forma, o Aeroporto Carlos Drummond de Andrade (Pampulha), é consagrado como importante elo da aviação regional.

Assim, Beagá, como é carinhosamente chamada. Oferece inúmeras opções para quem chega ao Estado, com atrativos que atendem às expectativas dos mais diversos segmentos turísticos: do histórico ao de negócios, do ecoturismo ao turismo de saúde, da cultura à gastronomia, sempre com as tradições acolhedoras do povo mineiro.

Belo Horizonte

Vista panorâmica (Fotos: Sérgio Mourão)

Negócios

Por ter o turismo de negócios sua principal vocação, a cidade conta com empreendimentos de porte para receber eventos nacionais e internacionais: Expominas, Minascentro e Serraria Souza Pinto.

O Expominas, construído em 1998 e reinaugurado em 2006, oferece infraestrutura completa para sediar eventos de grande porte com capacidade para até 45 mil pessoas, além de possuir ligação com uma estação do metrô. São três pavilhões para feiras, um pavilhão multiuso e estacionamento para três mil veículos, onde também ocorrem eventos.

O Minascentro encontra-se em um edifício estilo neoclássico construído em 1926 bem no centro da cidade, foi adaptado e reinaugurado, em 1984, para abrigar o primeiro centro de convenções da capital mineira. A área interna possui mais de 30 mil m², com três pavimentos que podem receber até três eventos simultâneos. O espaço é contemplado com três auditórios, sendo o principal com capacidade para até 1200 pessoas, e outros dois de médio porte, além de salas de reuniões.

Erguida em 1913, a Serraria Souza Pinto foi uma das primeiras construções de Belo Horizonte a utilizar estruturas de ferro. Foi revitalizada em 1981 e restaurada em 1997, quando passou a ser patrimônio do Estado. Hoje é consagrada como um dos centros de convenções que mais recebem eventos, shows, feiras, cursos, congressos e exposições, com capacidade para receber até 4 mil pessoas.

Praça do Papa - Belo Horizonte

Praça do Papa

Praças e Parques

Um dos grandes diferenciais de BH é a harmonia entre o urbano e o natural. A cidade possui inúmeras áreas verdes, parques arborizados e atrativos que fazem qualquer visitante se sentir em uma pequena cidade do interior, mesmo estando em meio à metrópole.

Diante de belíssimos jardins, as edificações da Praça da Liberdade reúnem os estilos neoclássico, art decó e modernista, que se contrastam harmoniosamente. É o coração de Beagá. Linda, verde, florida, cercada por edifícios históricos como o Niemeyer, o Rainha da Sucata, o Palácio do Governo, entre outros. Antiga sede do poder executivo estadual, a Praça da Liberdade é, desde março do ano passado, o mais novo espaço de cultura e conhecimento da capital mineira.

O Parque Municipal Renné Giannetti foi a primeira área verde da cidade, com 182 mil m². Inaugurado em 1897 foi inspirado nos parques franceses Belle Époque, com lago, roseiras e coreto. É patrimônio natural e está localizado em plena área central da cidade, abrigando mais de 50 espécies de árvores centenárias, um orquidário, canteiros e brinquedos para as crianças, além do Centro de Educação Ambiental, o Teatro Francisco Nunes e o Palácio das Artes.

Após o Papa João Paulo II ter dito “Que belo horizonte” diante da paisagem vista da Praça Israel Pinheiro, depois da missa campal realizada em 1980, o lugar passou a ser chamado de Praça do Papa. No local foi erguido um monumento para homenagear o ilustre visitante, que hoje serve de cartão-postal da cidade. Cercada pela Serra do Curral, a praça é um lugar para apreciar uma vista panorâmica e contemplar o “Belo Horizonte”.

Na Praça Sete está o famoso “Pirulito” – um obelisco criado para comemorar o centenário da Independência do Brasil. A Praça Sete é um marco de referência no centro de Belo Horizonte, localizada no cruzamento de duas das principais avenidas da cidade: Afonso Pena e Amazonas.

Aos pés da Serra do Curral, o Parque das Mangabeiras é um dos maiores e mais belos redutos ecológicos da cidade. Com projeto paisagístico assinado por Burle Marx, é a maior área verde da capital com 2,3 milhões de metros quadrados de matas nativas onde se pode fazer trilhas junto aos micos, esquilos e outros animais silvestres.

Pampulha - Belo Horizonte

Igrejinha da Pampulha

Pampulha

Principal cartão-postal da cidade, o Complexo da Lagoa da Pampulha conta com as exuberantes curvas desenhadas por Oscar Niemeyer e é um dos mais importantes pontos turísticos da capital mineira. Idealizado pelo então prefeito Juscelino Kubitscheck, ficou famosa por se tratar de uma obra revolucionária e um marco da arquitetura moderna. Entre as edificações, destacam-se a Igreja de São Francisco de Assis, com obras de Cândido Portinari e Alfredo Ceschiatti; a Casa do Baile, atual Centro de Referência e Urbanismo, Arquitetura e Design dedicado a eventos e exposições; e o Museu de Arte da Pampulha.

Na Pampulha encontram-se também o Jardim Zoológico, incluindo o Aquário do Rio São Francisco, o Parque Ecológico e o Jardim Japonês, atrativos que permitem o contato direto com a natureza, a cultura e costumes orientais.

Mineirão - Belo Horizonte

Mineirão

Capital do Futebol

A cidade-sede dos principais times de futebol do país: Atlético, Cruzeiro e América, também não deixa a desejar quando o assunto é o esporte. A cidade conta com um completo Complexo Esportivo, que inclui o Estádio Governador Magalhães Pinto (Mineirão), o Estádio Jornalista Felipe Drummond (Mineirinho), o Estádio Raimundo Sampaio (Arena Independência), os Centros de Treinamentos dos clubes mineiros e o Centro de Treinamento Esportivo (CTE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Mercado Central - Belo Horizonte

Mercado Central

Minas em um só lugar

O Mercado Central, inaugurado em 1929, é uma das referências turísticas mais importantes da cidade. Consagrado como “parada obrigatória” para os visitantes que chegam à capital, reúne em um só ambiente os cheiros e sabores da famosa culinária mineira, bem como tradições, ingredientes e objetos que compõem todo o charme do artesanato estadual. São 400 pontos de vendas, onde se encontra um pouco de tudo. Também há bares, onde são servidos os tira-gostos mais gostosos da cidade.

Palácio das Artes - Belo Horizonte

Palácio das Artes

Arte, Cultura e História

Entre as diversas opções culturais que Belo Horizonte oferece destacam-se os museus, as galerias e as feiras de rua. Da história dos brinquedos, passando pela importância da mineração para o desenvolvimento do Estado, até o processo de evolução das profissões, são inúmeras histórias que cada um tem para contar.

Instituição que guarda grande parte da história de Belo Horizonte, o Museu Histórico Abílio Barreto foi inaugurado em 1943, durante a gestão do prefeito Juscelino Kubitschek. Sua função é promover o recolhimento, a preservação, a pesquisa e a divulgação do acervo histórico da cidade e sua finalidade é tornar público o acesso aos bens culturais preservados.

Uma fascinante viagem no tempo, esta é a melhor definição para o Museu de Artes e Ofícios. São mais de 2000 peças dos séculos 18, 19 e 20, acervo de objetos utilizados no início das mais variadas profissões, com os quais se pode entender a riqueza e a evolução do trabalho. Foi inaugurado em 2005 e é o primeiro e único museu da América Latina dedicado integralmente ao tema.

Cerca de 400 bonecos e marionetes enfeitam o Museu Giramundo. Trata-se do acervo e da história do Giramundo, o mais importante grupo de teatros de bonecos do país, ganhador de diversos prêmios nacionais e internacionais. O museu foi criado em 2001 e expõe todos os personagens utilizados pelo grupo ao longo dos mais de 35 anos de sucesso.

Uma obra de arte por si só. Primeiro projeto de Niemeyer, influenciado por Le Corbusier, o Museu de Arte da Pampulha foi criado em 1946 para ser o cassino “Palácio de Cristal”. No ano seguinte o espaço foi transformado no MAP, com salas de multimídia, biblioteca, café/bar, além do acervo permanente e intensa programação, com exposições de artistas do mundo inteiro.

E quem foi que disse que cultura e anatomia humana não andam juntas? Em Belo Horizonte, quem visita o Museu de Morfologia encontra um verdadeiro e fascinante aprendizado dessa junção. No local é possível entender tudo sobre a estrutura e o funcionamento do corpo humano de maneira didática e divertida.

Projetado por Hélio Ferreira Pinto e inaugurado em 1971, o Palácio das Artes é um diversificado complexo cultural que recebe, constantemente, exposições, mostras e eventos culturais das mais diversas espécies. O complexo conta com um Grande Teatro, dois menores, três galerias de arte, um cinema, livraria, café, além do Centro de Artesanato Mineiro.

A Feira de Arte e Artesanato da Avenida Afonso Pena é a maior feira em espaço aberto da América Latina. Ao todo são três mil expositores que atraem, semanalmente, cerca de 80 mil visitantes de todo o país. No local, o turista encontra diversos artigos, do artesanato à culinária típica mineira.

Feira Hippie - Belo Horizonte

Feira Hippie

Cidade Festeira

Apesar do foco no turismo de negócios, o turismo de lazer tem se evidenciado cada vez mais em BH. E como forma de bem receber o turista e agradar também aos belo-horizontinos, o calendário de eventos da cidade é completo o ano inteiro. Basta se programar e a festa está garantida.

A Campanha de Popularização do Teatro e da Dança abre o calendário de eventos culturais da cidade. Nos meses de janeiro e fevereiro inúmeros teatros recebem espetáculos a preços populares e atraem milhares de pessoas à platéia.

O Comida di Buteco nasceu e se fortaleceu em Belo Horizonte, mas também conquistou todo Brasil sendo realizado em diversas capitais brasileiras. Entre abril e maio os principais bares da cidade se empenham em um concurso para eleger o melhor petisco.

O Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ) já virou referência nacional e internacional. No mês de novembro, quadrinistas acompanham oficinas, mesas redondas e exposições sobre diversos temas.

Também no mês de novembro ocorre a Feira Nacional de Artesanato – a maior da América Latina. O evento ocorre durante uma semana no maior centro de exposições da cidade – o Expominas – e recebe milhares de pessoas do mundo inteiro, em busca do artesanato nacional.

Serviço:

Site oficial: www.belohorizonte.mg.gov.br

Fundação da cidade: 12/12/1897

Temperatura média: 21º C

cta_finalpost_passeios_venda
Postagens relacionadas
Serra do Cipó - credito Sergio Mourão
Serra do Cipó
poços de caldas - credito Marden Couto
Poços de Caldas: a cidade das águas termais e das praças floridas
congonhas - credito Marden Couto
Congonhas: a cidade dos profetas
Carlos Drummond de Andrade - Itabira
Itabira
Maria da Fé
Maria da Fé

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web